Tudo sobre elétrica residencial

Tudo sobre elétrica residencial

Optar por lâmpadas de LED, fazer manutenção preventiva na fiação elétrica e ficar atento com os grandes vilões de uma casa, como chuveiros, torneiras elétricas, aquecedores, lavadoras de louça e alguns tipos de secadoras de roupa, são dicas importantes para quem quer reduzir a conta de energia. A economia deve ter a atenção dos consumidores, já que, desde o início deste mês, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou o reajuste de 42,8% na taxa extra cobrada na bandeira vermelha 2, passando de R$ 3,50 para R$ 5 a cada 100 quilowatts consumido.

Uma instalação elétrica residencial bem dimensionada pode diminuir uma série de situações desagradáveis, como quedas constantes de energia, riscos de curtos circuitos e incêndios. Embora a corrente elétrica e a tensão sejam grandezas invisíveis, é necessário dobrar a atenção quando o assunto for manutenção no circuito do imóvel, principalmente, quando não conhecemos o local e não sabemos se a instalação de fios e equipamentos foram feitos da maneira correta.

Preciso contratar um eletricista ou um engenheiro elétrico?

eletricista residencial

Se você não for nem engenheiro elétrico e nem eletricista, vai precisar contratar um profissional qualificado para fazer a manutenção em sua casa. Afinal, a instalação elétrica residencial é um dos itens da construção com o qual devemos ter o máximo de cuidado.

É importante ressaltar que a presença de um engenheiro elétrico ou um bom eletricista é fundamental antes mesmo do início de qualquer projeto de construção ou reforma. Mas, quais os objetivos dessa medida?

  • Evitar o mau dimensionamento de carga: pode ser que o tamanho do projeto residencial e as previsões de uso dos equipamentos elétricos obriguem você a solicitar aumento de carga à distribuidora de energia, inclusive, a colocação de transformadores para aumento de carga;

  • Evitar o mau dimensionamento de dispositivos de proteção: dependendo da carga necessária para suprir a demanda de cada setor ou cômodo da residência, você vai precisar de dispositivos para proteção de lâmpadas e aparelhos eletroeletrônicos;

Quais materiais e equipamentos não podem faltar?

cabos elétricos

De forma geral, o que não pode faltar em uma instalação elétrica residencial são os materiais de boa qualidade e acabamento, além de dispositivos de segurança e aterramento.

  • Fios e cabos: escolha os que não propagam chamas, com dimensionamento de isolamento para, no mínimo, 750V, podendo ser maior em decorrência da necessidade do projeto. Talvez você não saiba, mas a diferença entre cabos e fios está na maleabilidade dos cabos. Também é importante observar as informações sobre bitola, grau de isolamento e temperatura, além do nome do fabricante gravados em toda extensão de cabos e fios.

  • Eletro-dutos: com um conjunto de várias bitolas, em geral são confeccionados com material plástico isolante e podem ser rígidos ou sanfonados. Verificar tensão máxima suportada;

  • Quadros de distribuição: utilizados para receber dispositivos de proteção e distribuição elétrica de uma ou mais fontes de energia, é um item no qual talvez você não deva economizar. Facilita a manutenção, pois pode desligar a energia de cômodos ou áreas específicas sem atrapalhar as demais;

  • Disjuntores termomagnéticos: desligam automaticamente sempre que há uma sobrecarga de energia em determinada área da residência;

  • Tomadas: a legislação brasileira orienta o uso de tomadas com três plugues (fase, neutro e aterramento). Já pensou? Você quer mudar um móvel de um canto para outro, mas tem apenas uma única tomada no ambiente. Como sair dessa enrascada, se você não quer fazer instalações aparentes?

O aterramento é mesmo necessário?

aterramento elétrico

O aterramento é fundamental para garantir a segurança do imóvel. Por isso, vamos elencar algumas razões para a real necessidade de um aterramento. Vejamos abaixo:

  • Proteger de descargas atmosféricas que encontrem o caminho facilitado até equipamentos eletrodomésticos;

  • Liberação de cargas eletrostáticas acumuladas nas partes exteriores de equipamentos elétricos e eletrônicos;

  • Auxiliar no bom funcionamento dos demais dispositivos de proteção residencial.

O curioso é que muita gente acaba arrancando o terceiro pino da tomada – destinado ao aterramento – sem saber que está aumentando o grau de risco de acidentes elétricos. Em relação à instalação elétrica residencial, é preciso ter cuidado com a qualidade dos materiais e equipamentos utilizados, além de ficar atento à facilidade da manutenção dos mesmos.

O melhor mesmo é contratar um profissional qualificado para fazer todo o projeto elétrico do seu imóvel para que se evitem as dores de cabeça e prejuízos futuros.

Avalie este conteúdo:
Tudo sobre elétrica residencial
Avalie esse serviço!